Home » FAQ`S » DII na Mulher

FAQ`S

DII na Mulher

  • A DII pode afectar a gravidez e o parto ou prejudicar o recém-nascido? A maioria das mulheres grávidas com estas doenças, têm partos normais e bebés saudáveis na mesma proporção que as mulheres da população em geral. A probabilidade de existir um problema que afecte a gravidez é maior numa mulher com Doença de Crohn activa. Nestas mulheres o risco de parto prematuro, nado-morto ou aborto espontâneo é maior. Se os sintomas se agravarem o suficiente para conduzir à cirurgia, o risco para o feto será ainda maior. (fonte: brochura “DII na Mulher”)
  • As grávidas com DII devem seguir uma dieta especial? Em geral, as grávidas com Doença de Crohn ou Colite Ulcerosa devem seguir a mesma dieta equilibrada que é recomendada para qualquer grávida. O obstetra e/ou gastrenterologista pode, adicionalmente, recomendar alimentos específicos, vitaminas e minerais. É particularmente importante que qualquer mulher a fazer terapêutica com sulfasalazina durante a gravidez tenha um suplemento de ácido fólico na sua dieta, o que é recomendado para prevenir malformações do feto detectadas em mulheres com uma dieta pobre neste nutriente. (fonte: brochura “DII na Mulher”)
  • Os factores emocionais causam agudização da doença durante a gravidez ou nas semanas seguintes ao parto? O stress emocional pode causar o agravamento de sintomas durante a gravidez, tal como em qualquer outra altura. Mas isto não significa que o stress seja um factor desencadeador da doença. De igual forma, o pós-parto é um período normalmente caracterizado por uma rápida mudança, tanto física como emocional. Estas alterações também podem causar um agravamento temporário dos sintomas. (fonte: brochura “DII na Mulher”)
  • A DII tem algum efeito sobre a menopausa? Não. Se a doença está inactiva e a menstruação é regular, a menopausa ocorre naturalmente. A menopausa cirúrgica é observada como tendo um efeito positivo em sintomas que de outra forma ocorreriam com a menstruação. (fonte: brochura “DII na Mulher”)
  • As hipóteses de vir a desenvolver osteoporose aumentam, tendo DII? Sim, aumentam. Os doentes com Crohn estão particularmente em risco de desenvolver osteoporose, pois a terapêutica standard são os corticosteroides e estes têm como principal efeito adverso provocar osteoporose. Após a menopausa, o risco também aumenta. (fonte: brochura “DII na Mulher”)
  • A gravidez pode prejudicar uma mulher com Doença de Crohn ou Colite Ulcerosa? Qualquer mulher deve ponderar o seu estado de saúde antes de engravidar. Assim, deverá equacionar uma eventual gravidez num período em que a doença esteja em remissão. De acordo com estudos recentes, as mulheres passam bem durante a gravidez se a doença estiver inactiva no momento da concepção. Contudo, se a gravidez ocorre durante um período activo é provável que a doença se mantenha activa ou que agrave. Este agravamento ocorre geralmente durante o primeiro trimestre na Colite Ulcerosa e durante o primeiro trimestre ou nos meses seguintes ao parto na Doença de Crohn.(fonte: brochura “DII na Mulher”)
  • A fertilidade nas mulheres com Doença de Crohn ou Colite Ulcerosa é similar à das outras mulheres? Na generalidade, sim. Estudos demonstram que as mulheres com Colite Ulcerosa têm a mesma taxa de fertilidade que as mulheres sem DII. Estudos de fertilidade em mulheres com Doença de Crohn são contraditórios. Um estudo em larga escala demonstrou não haver diferença nas taxas de fertilidade, mas estudos anteriores e um outro mais recente demonstram um ligeiro decréscimo de fertilidade nas mulheres com DII. Isto é verdade para a Doença de Crohn activa, mas se estiver em remissão, as taxas são bastante semelhantes ao normal da população. (fonte: brochura “DII na Mulher”)
  • A hipótese de ter baixo nível de ferro é maior na DII? Sim. Há maior probabilidade que numa mulher com a mesma idade sem DII, devido, não só, a perda normal de ferro através da menstruação, mas também, ao risco acrescido de hemorragia e reduzida absorção de ferro. (fonte: brochura “DII na Mulher”)
  • É comum ter dores durante as relações sexuais? Não há razões para que a Colite Ulcerosa possa causar dispareunia (termo médico para designar a dor sentida pela mulher durante as relações sexuais). Para as mulheres com Doença de Crohn, a dispareunia pode ser sinal de doença activa na região perianal ou de uma fístula na vagina. Apesar de poder ser embaraçoso falar sobre esta questão, deve discutir estes sintomas com o seu gastrenterologista e /ou ginecologista. (fonte: brochura “DII na Mulher”)
  • É seguro fazer uma colonoscopia durante o ciclo menstrual? Sim, mas há riscos acrescidos quando associada a colonoscopia ao ciclo. (fonte: brochura “DII na Mulher”)
  • É seguro usar a pílula tendo DII? Não há evidência que sugira que a pílula cause Doença de Cronh ou Colite Ulcerosa. Apesar de ser segura na Colite Ulcerosa, alguns estudos sugerem que pode agravar na Doença de Crohn. No entanto, a maior parte das mulheres, nestes estudos eram fumadoras, um hábito que agrava a Doença de Crohn.(fonte: brochura “DII na Mulher”)
  • A minha doença parece agravar na semana anterior ou na semana da menstruação. É normal? Sim. Na verdade, acontece em muitas doenças. É importante avaliar a variação de sintomas que possam estar associados ao ciclo menstrual, para que não se esteja a sobrevalorizar a DII. Os mesmos podem estar relacionados com o referido ciclo. (fonte: brochura “DII na Mulher”)
  • Porque tenho o ciclo menstrual irregular sendo portadora de DII? São muitos os factores que contribuem para que o ciclo menstrual seja irregular, tais como os níveis hormonais, nutrição desadequada e stress. Na doença activa, a própria inflamação pode causar uma alteração na função hormonal. O mecanismo para regularizar a menstruação passa pelo restabelecimento desse equilíbrio. (fonte: brochura “DII na Mulher”)